Balão intragástrico: entenda como funciona

No processo de perda de peso, existem diversos recursos que podem nos auxiliar e um deles é o balão intragástrico.  No artigo de hoje, falaremos um pouco sobre como ele funciona. Continue lendo e fique atualizado, além de saber quais as indicações para colocá-lo.

 

O que é e como funciona o balão intragástrico?

O balão intragástrico é feito de um material bastante resistente e em seu interior há um líquido azul. Uma de suas maiores vantagens é o fato de sua colocação poder ser realizada em ambiente ambulatorial, dispensando a necessidade de internação hospitalar.

Ele é introduzido no estômago através de endoscopia. Não há necessidade de aplicar anestesia, uma pequena sedação no local já é o suficiente.  Note que não é necessária uma cirurgia, o que o faz ser considerado um método minimamente invasivo.

Ele pode durar aproximadamente seis meses no organismo e costuma resistir muito bem ao ambiente estomacal nesse período. A sua inserção é feita com ele vazio, sendo projetado para inflar apenas quando estiver no estômago.

Se houver alguma intercorrência, o balão murchará, o que poderá ser detectado por meio da urina, que fica azul. Assim o paciente pode ir imediatamente ao médico para ser avaliado.

O balão costuma atingir a capacidade de 600ml no estômago. Isso significa que o paciente comerá muito menos, pois terá rapidamente a sensação de saciedade ao iniciar a refeição.

 

Para quem é indicado o balão intragástrico?

O balão costuma ser utilizado no tratamento da obesidade, sendo uma alternativa para pacientes que não querem ou não podem passar por uma cirurgia bariátrica.

Ele é indicado para:

  • Indivíduos com o IMC maior do que 40 (obesidade mórbida);
  • Pacientes com o IMC menor que 40, mas que tenham desenvolvido alguma doença causada pelo excesso de peso;
  • Pessoas que têm o IMC maior que 28 e estejam em tratamento pré-cirúrgico para a realização de cirurgia bariátrica.

 

Contraindicações e efeitos colaterais

Algumas pessoas são proibidas de realizar esse procedimento devido a certas condições específicas. Abaixo listaremos algumas delas:

 

  • Dependência química;
  • Já ter realizado alguma cirurgia gástrica;
  • Gravidez e lactação;
  • Uso de alguns medicamentos;
  • Hérnia hiatal;
  • Ter úlceras ou gastrite em estado crítico;
  • Possuir tumor no estômago.

 

Para jovens menores de dezoito anos e idosos acima de sessenta, o método pode ser recomendado, mas é preciso uma rigorosa avaliação dos especialistas de cada área, como a pediatra, por exemplo.

 

Quais cuidados se deve ter após a introdução do balão intragástrico?

Após o procedimento, é comum sentir náuseas, vômitos, dores de cabeça e no local onde foi feita a endoscopia. Os sintomas desaparecerão depois de alguns dias. Com um mês de procedimento, o paciente já está liberado para realizar alguma atividade física.

O balão intragástrico traz resultados eficazes: cada paciente reage de uma forma, mas é comum a perda de 13 a 30% do seu peso total. Para se obter bons resultados, é importante uma mudança de hábitos, especialmente a adoção de uma dieta equilibrada e a prática de atividade física.

Se você se interessou pelo método e quer saber se pode implantar o balão intragástrico, entre em contato conosco e tire suas dúvidas.

3 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *