, ,

Como uma boa alimentação pode afetar nosso humor no dia a dia?

Muita gente acha que o humor só pode ser afetado por fatores sociais e mentais, mas isso é um erro muito comum. A verdade é que a alimentação tem um grande papel com relação ao nosso humor no dia a dia.

Duvida? Então, continue lendo para entender como a alimentação pode influenciar no humor e quais são os alimentos que mais o beneficiam. Confira!

 

Como a boa alimentação pode influenciar o nosso humor diário?

O cérebro é responsável por produzir neurotransmissores que servem para comunicar ações às outras partes do organismo para que elas funcionem bem. Dois neurotransmissores em especial são fundamentais para o humor: a dopamina e a serotonina.

É aí que a alimentação entra. Esses dois neurotransmissores podem ser afetados pelos alimentos ingeridos, pois alguns são capazes de impulsionar a produção do triptofano, substância usada pelo cérebro para produzir a serotonina.

Além disso, os alimentos também podem estimular a formação da fenilalanina, que é essencial para que o cérebro consiga liberar a dopamina.

Tanto a serotonina quanto a dopamina são elementares para a sensação de bem-estar, prazer e leveza.

Um ponto curioso, que prova como o bom funcionamento intestinal ajuda no humor, é o significado da expressão “enfezado” (usada para designar aquela pessoa mal-humorada ou chateada) que quer dizer “cheio de fezes”, acredita?!

Isso porque quando o intestino não funciona muito bem, nós podemos ficar muito tempo sem ir ao banheiro, o que nos deixa inchados e consequentemente irritados, nervosos e ansiosos. Curioso, não é?

 

Quais são os alimentos que podem afetar o nosso humor?

Conheça a seguir os principais alimentos que são capazes de afetar o nosso humor positivamente:

  • Laticínios

Os leites, queijos, iogurtes, entre outros laticínios, são amigos do bom-humor, pois são ricos com proteínas de origem animal, que contém boas quantidades de triptofano, aquela substância que ajuda na produção de serotonina.

  • Folhas verdes

As folhas verdes (alface, rúcula, agrião, espinafre e couve) são cheias de ácido fólico e fenilalanina, que são fundamentais para a formação do neurotransmissor dopamina.

  • Carnes magras e ovos

Os frangos e os peixes, em especial, possuem valores altos de fenilalanina e triptofano em sua composição. Além disso, vale mencionar que os ovos possuem propriedades parecidas e ainda são ricos em niacina e tiamina, substâncias boas para o humor e para a memória.

  • Carboidratos

Os alimentos como arroz, pães e outras massas são ricos em carboidratos, que são essenciais na atuação do triptofano como estimulador da produção de serotonina. Pode-se dizer, que ele facilita o transporte da substância.

  • Fibras

Os alimentos ricos em fibras (linhaça, aveia, frutas, sementes, chia, granola etc.) proporcionam o bom funcionamento do intestino e impulsionam o desenvolvimento de bactérias essenciais ao sistema digestivo.

  • Soja

Além de ser uma boa fonte de fenilalanina e triptofano, a soja também é rica em vitamina E, acetilcolina e fitoesteróis. Essas substâncias levam muitas vantagens ao cérebro e ao sistema nervoso no geral.

 

Lembre-se de que você pode sempre procurar um nutricionista para que ele lhe passe um cardápio inteiro baseado em uma boa alimentação para o seu humor ou para qualquer outro objetivo que você tenha.

Verdades e mitos sobre os suplementos alimentares

Os suplementos alimentares estão ficando cada vez mais comuns entre as pessoas que realizam exercícios físicos intensos. Os números relacionados ao seu consumo só aumentam a cada ano. Em 2017, o crescimento deste setor passou dos 11% em comparação com 2016.

De acordo com o CRN (Conselho para Nutrição Responsável, em inglês) dos Estados Unidos, o maior motivo por trás da utilização de suplementos alimentares é a melhora da saúde física e do bem-estar diário. Mesmo assim, são poucos os indivíduos que sabem como consumi-los da maneira correta.

A verdade é que, se os suplementos alimentares forem ingeridos do jeito certo, eles podem apresentar diversos benefícios ao organismo humano, desde a complementação ao tratamento de doenças até a resolução de questões estéticas, como a perda de peso ou o ganho de massa muscular.

Por isso, o mais recomendado é que antes de iniciar o consumo de suplementos, a pessoa procure um nutricionista. Ele saberá orientar as quantidades ideais de ingestão, quais as melhores horas para consumir e os produtos mais indicados para você.

Existem muitos mitos sobre suplementos alimentares pela internet afora e isso pode acabar confundindo as pessoas. É por isso que preparamos uma lista com 5 afirmações sobre suplementos, para que possamos dizer quais delas são mitos e quais são verdades.

Confira a seguir verdades e mitos sobre os suplementos alimentares:

 

1 – Qualquer um pode fazer uso de suplementos alimentares

            MITO. É verdade que muitos consomem os suplementos sem nem procurarem nutricionistas ou médicos, mas isso pode acarretar problemas sérios mais tarde. Existem contraindicações gerais e específicas para cada suplemento, ou seja, nem todos podem consumi-lo.

 

2 – Suplementos alimentares possuem vitaminas e nutrientes

            VERDADE. Inclusive, alguns suplementos são indicados por médicos para repor os níveis saudáveis de algumas vitaminas ou nutrientes. A maior parte dos suplementos possuem muitas proteínas, aminoácidos, ácidos graxos, fibras, carboidratos, vitaminas e minerais.

 

3 – É preciso tomar o suplemento em uma hora específica

            VERDADE. Cada tipo de suplemento funciona de forma diferente em nosso organismo, assim como também são ingeridos por motivos bem diversos. Por isso, para que ele cumpra o prometido, é preciso consumi-lo diariamente em um (ou mais) horário (s) específico (s).

 

4 – O consumo de suplementos alimentares engorda

            MITO. Cada suplemento possui uma função. Alguns são ricos em calorias para aqueles que buscam o ganho de massa magra e mais energia para os treinos intensos de musculação. Já os termogênicos servem para perder as gorduras indesejadas acumuladas.

De qualquer forma, também é importante sempre realizar atividades físicas e ter uma dieta alimentar saudável. É essencial que todas as três coisas estejam em equilíbrio ou o ganho de peso (além de outros problemas) pode sim acontecer.

 

            5 – Os suplementos alimentares podem substituir refeições e tratar patologias

            MITO. Pode ser que o médico ou nutricionista indique o uso de suplementos para agir como um apoio ao tratamento de doenças, mas ele nunca deverá ser o protagonista a não ser que o profissional faça esta recomendação.

Além disso, é importante não substituir nenhuma refeição sem orientação profissional. Lembre-se de manter sempre a dieta saudável indicada.

 

Viu como muitas das coisas que você ouviu podem ser só rumores? Não deixe de se consultar com um nutricionista para tirar mais dúvidas e obter informações sobre os suplementos alimentares.

 

,

Riscos cardiometabólicos duplicam com a obesidade!

A obesidade e o sobrepeso são uns dos maiores problemas de saúde enfrentados pela sociedade atual, podendo muitas vezes resultar em doenças sérias que precisam de cuidados e precauções especiais.

Diabetes, hipertensão, colesterol alto, falta de ar e ataques cardíacos são apenas alguns dos problemas que podem ser causados pelo excesso de peso. Para observar e analisar essa situação, muitos estudos e pesquisas são realizados ao redor do mundo.

O Globo Esporte publicou em seu site oficial uma reportagem muito interessante sobre um estudo feito com 700 mil recrutas no exército dos Estados Unidos, entre os anos de 2001 e 2011. Os resultados mostram dados bem relevantes.

No geral, foram observados poucos fatores de risco cardiovasculares. Mesmo assim, algumas alterações cardiometabólicas foram achadas em soldados com obesidade ou sobrepeso. Isso quer dizer que os riscos cardiovasculares nesses jovens eram mais elevados.

Por outro lado, a aptidão cardiorrespiratória foi muito boa na maioria dos recrutas, mesmo naqueles com excesso de peso. Isso se deve, principalmente, ao fato de que todos praticam muitos exercícios físicos intensos e ainda estão na juventude.

Esses resultados não foram tão diferentes dos que dizem respeito às populações de civis, nas quais também existem maiores chances de problemas metabólicos em pessoas obesas ou com sobrepeso.

A hipertensão arterial foi a doença com o maior fator de risco observado, atingindo 3,6% dos soldados examinados. Isso vai ao encontro de uma análise feita em 97 pesquisas, que notou uma expansão no risco de infarto e AVC nas pessoas que possuem um IMC elevado (obesas).

Os pesquisadores relacionaram esse fato à hipertensão arterial, que mostrou um aumento de risco de 31% a 65% entre os indivíduos que tinham um IMC superior à 25 kg/m², ou seja, os considerados obesos.

 

Como prevenir os riscos?

Com todos os resultados, foi possível notar que ter uma boa aptidão cardiovascular pode regular os riscos relacionados ao cardiometabolismo, que realmente se duplicam com a obesidade.

O que melhora essa aptidão e ajuda a reduzir muito os problemas que podem se originar do excesso de peso são os exercícios físicos. As atividades aeróbicas, em especial, são extremamente benéficas à saúde.

Quem não tem o costume de fazer exercícios, pode começar  aos poucos. Uma caminhada de 30 minutos todos os dias já é um bom início. Depois, pode-se passar a correr e a fazer musculação também.

O recomendado é perder de 3 a 4kg ao mês, sem ultrapassar os seus limites. Manter uma dieta saudável e se alimentar corretamente de 3 em 3 horas também auxilia muito a deixar o organismo mais saudável e funcionamento melhor.

 

Procure um nutricionista ou um médico para que eles lhe orientem sobre uma dieta alimentar específica para o seu caso, assim como exercícios novos para ajudarem na perda de peso com saúde e segurança.

Fonte:http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2017/03/riscos-cardiometabolicos-dobram-com-obesidade-mas-exercicios-minimizam.html

, ,

Quais os pilares fundamentais para um bem-estar físico e mental?

Ao contrário do que muita gente pensa, o bem-estar físico não depende apenas de dietas alimentares. É claro que isso pode ajudar muito, mas o mais importante é ter uma harmonia entre o corpo e a mente. A saúde de um completa a do outro.

Não é possível estabelecer uma regra universal sobre o que fazer para obter a melhor qualidade de vida possível, pois cada ser humano possui suas necessidades individuais específicas e o que é bom para um pode não ser bom para outro.

Mesmo assim, podemos colocar alguns pilares para ajudar as pessoas a encontrarem por conta própria o bem-estar físico e mental. Nada é tão simples, mas, acredite, está longe de ser impossível você adquirir a qualidade de vida tão desejada.

Pilares servem para sustentar construções, certo? São eles que mantém tantas estruturas incríveis e imponentes de pé. Portanto, podemos citar também pilares que precisamos para sustentar a harmonia entre corpo e mente.

Confira a seguir a lista que preparamos sobre quais os pilares fundamentais para um bem-estar físico e mental e entenda melhor o que você pode fazer para mantê-los bem preservados.

 

1 – Sono

Sim, a qualidade do seu sono pode determinar muita coisa em sua vida. Parece algo básico, e realmente é, mas grande parte das pessoas não consegue ter uma noite de sono ideal.

E o que seria uma noite de sono ideal? Dormir por volta de 8 horas profundamente e sem perturbações. São poucas as pessoas que podem falar que fazem isso toda noite. Com tanta coisa na cabeça e com tanta ocupação, fica difícil não ter insônia ou conseguir dormir por tanto tempo.

Dormir bem gera bom humor, diminui o cansaço, clareia a mente e proporciona mais disposição e motivação no dia seguinte.

 

2 – Amor-próprio

É muito comum termos pensamentos depreciativos sobre nós mesmos. Se não nos encaixarmos nos padrões impostos pela sociedade, podemos achar que somos insuficientes e decepcionantes. É importante entender que isso não é verdade.

Quando você se ama, você entende que merece o melhor e tem mais motivação para buscar coisas incríveis para a sua vida. Lembre-se de que se amar não é ser egocêntrico, mas apenas ter noção de que você tem tanto direito à felicidade quanto qualquer outra pessoa.

 

3 – Exercícios físicos

A questão aqui não é perder peso ou ficar esteticamente diferente. A parte mais importante de se exercitar é adquirir a saúde física, o que consequentemente afeta de forma positiva a sua saúde mental.

Comece aos poucos, faça alguns minutinhos de caminhada por dia e vá aumentando com o tempo, até que isso vire hábito. Você perceberá rapidamente como essas atividades mudam seu bem-estar físico e mental para melhor.

 

4 – Alimentação saudável

Ter alimentação saudável não quer dizer reduzir suas refeições e se privar do que gosta. É encontrar alternativas saborosas que façam bem a sua saúde. Comer muitas frutas e legumes ajuda a desintoxicar o corpo, promovendo o melhor funcionamento orgânico.

Isso faz com que você não apenas tenha uma melhor disposição corporal como também fique de bom-humor e mais motivado. Certos alimentos conseguem aumentar a produção de hormônios super positivos à sua mente.

 

O que achou? Quer saber outros pilares e mais dicas? Procure um psicólogo, nutricionista ou um médico especializado para que ele lhe diga exatamente o que fazer para obter um melhor bem-estar físico e mental.

, ,

Cuidados com maus hábitos alimentares

Na nossa correria diária, para poupar tempo, acabamos consumindo alimentos que estão longe de serem considerados saudáveis. Nessa vida agitada, costumamos priorizar a praticidade ao invés da saúde. Isso é um erro.

Pode não parecer tão importante agora, mas a seleção do que ingerimos e a forma como ingerimos é fundamental para a nossa qualidade de vida. Às vezes passamos por algum mal-estar sem perceber que as causas disso são os maus hábitos alimentares.

Doenças como diabetes, hipertensão, obesidade, arritmia e até alguns tipos de câncer podem ser causadas pela má alimentação. Entendeu como esse assunto é muito maior do que apenas a questão sobre ser fitness ou não?

Ter hábitos alimentares saudáveis só traz benefícios, como: melhor funcionamento do metabolismo; mais saúde ao sistema digestivo; prevenção de doenças; menor acúmulo de gordura no corpo; maior longevidade; aumento da qualidade de vida e bem-estar físico e mental, entre outros.

 

Como ter cuidados com maus hábitos alimentares?

Para sabermos como mudar e evitar os hábitos alimentares é essencial entender quais são esses hábitos. Por isso preparamos uma pequena lista com os principais erros cotidianos, assim como solucioná-los. Dê uma olhada a seguir:

 

1 – Pular refeições principais

O ideal é se alimentar de três em três horas para que a pessoa não fique com fome e os níveis de glicemia permaneçam normais. É um erro bem comum achar que ficar em jejum emagrece.

Na verdade, é o contrário: o corpo armazena mais calorias para se prevenir, o que pode até contribuir para o ganho de peso. Então, não pule qualquer refeição. Coma tudo em porções moderadas, com uma variedade colorida de alimentos e sem beber enquanto consome o prato.

 

2 – Ingerir poucas fibras

As fibras são essenciais para o bom funcionamento do sistema digestivo, além de tantos outros benefícios. Elas são negligenciadas por uma boa parte das pessoas porque estão presentes em alimentos não tão queridos, como verduras, frutas, sementes, massas integrais, etc.

Muita gente acha que esses alimentos são ruins e pouco satisfatórios no quesito sabor. A verdade é que existe muito preconceito e as pessoas nem se importam em provar ou testar maneiras diferentes de prepará-los.

O ideal é ingerir ao menos três frutas por dia, assim como sempre acrescentar saladas ou outros legumes ao almoço e à janta. Além disso, procure lanchar com torradas e pães integrais ao invés dos tradicionais.

 

3 – Beber muito refrigerante

O Brasil é um ávido consumidor de refrigerantes, mas esse é um hábito terrível. Isso porque essas bebidas são compostas por frutose, sódio, ácidos e outras substâncias químicas altamente prejudiciais ao bom funcionamento orgânico.

Tomar refrigerante pode aumentar seu colesterol, causar diabetes, aumentar a pressão arterial, entre muitos outros problemas. O sugerido é trocar o refri por sucos naturais que, além de serem saudáveis, são muito deliciosos.

 

4 – Consumir carne de forma excessiva

Carnes gordas podem causar problemas cardiovasculares, assim como alimentos embutidos, como as salsichas e o bacon (tão populares), possuem quantidades enormes de sódio e gorduras, além de conservantes.

Prefira comer peixes e carnes brancas ou então opte pelas carnes vermelhas magras, como o lagarto e o coxão duro.

 

Seja sincero(a), você tem alguns desses maus hábitos? Se não, parabéns! Se sim, mude o quanto antes. Procure um nutricionista ou um médico para lhe aconselhar sobre qual tipo de dieta alimentar saudável é a melhor para suas necessidades.

, ,

Dicas para um estilo de vida mais saudável

Com toda a agitação da sociedade atual, excesso de trabalho, problemas, ocupações e tarefas dentro ou fora de casa, fica difícil conseguir manter um estilo de vida mais saudável.

Muitas das atitudes prejudiciais à saúde vêm da necessidade de buscar coisas práticas devido à correria do dia a dia. O que muita gente não sabe é que é possível sim ter hábitos saudáveis de forma prática e prazerosa, você só precisa ter força de vontade para que isso aconteça.

Uma mudança de rotina se faz muito necessária à maioria das famílias brasileiras e para te ajudar a entender melhor o que fazer sobre isso, nós preparamos uma lista com dicas para um estilo de vida mais saudável.

Esperamos que com essas dicas você consiga manter os novos hábitos de forma definitiva e rotineira. Confira:

 

1 – Troque sua alimentação

Evite comer alimentos processados e industrializados. O ideal é preparar suas refeições com verduras, legumes, proteínas magras e frutas. Você pode fazer várias marmitas fitness congeladas que duram a semana inteira e evitam o trabalho do preparo repetitivo.

Se você não está acostumado a comer esses alimentos, mude aos poucos. Adicione legumes aqui, coloque frutas ali, até que eles estejam presentes diariamente em sua vida.

 

2 – Tenha uma rotina de atividades físicas

Praticar exercícios físicos é essencial para a manutenção da saúde tanto física quanto mental. Você não precisa treinar intensamente ou ralar na academia. Pode começar apenas caminhando três vezes por semana durante 30 minutos.

Andar de bicicleta, correr na esteira, pular corda, nadar ou jogar algum esporte que te dê prazer também são ótimas opções para largar o sedentarismo e ganhar resistência corporal.

 

3 – Liste seus objetivos

Muita gente se sente bem melhor depois que coloca no papel (ou no celular) a lista com todos os objetivos a serem alcançados com a sua mudança de hábitos e estilo de vida. O que você mais deseja? Perder peso? Ganhar força muscular? Ter mais saúde?

Vá acompanhando todo o seu progresso. É importante marcar tudo para que perceba a melhora da qualidade de vida e não desista de buscar os seus objetivos.

 

4 – Organize o seu dia a dia

O ideal é ter um controle do que você vai comer no dia seguinte já no dia anterior. Tenha uma organização clara de cada refeição e da quantidade de alimentos que precisa consumir, assim como dos minutos de exercícios físicos que necessita alcançar diariamente.

A falta de uma rotina clara pode resultar em consumo desenfreado, pulo de refeições, ausência de atividades físicas, relaxamento consigo mesmo e negligência de todos os seus objetivos prometidos.

 

5 – Consulte um nutricionista     

Apesar de todas as dicas sobre alimentação, a maior sugestão é procurar um nutricionista e um médico. O nutricionista analisa seu estilo de vida antigo, seus objetivos e necessidades, oferecendo um esquema completo de sua nova rotina de alimentos saudáveis.

O médico passa exames essenciais para saber como está a sua saúde física, de quais nutrientes você precisa e quais os níveis de açúcar, colesterol e gordura. Dessa forma você cuida do seu corpo de forma integral.

 

Não se acomode em ter uma qualidade de vida ruim. Busque sempre o que é o melhor para a sua saúde, pois só assim viverá mais e melhor.

,

A reeducação alimentar além do que se acredita ser

Muita gente quando pensa em reeducação alimentar já imagina algo penoso, com comidas sem graça e ruins. Essas pessoas acham que ao terem uma alimentação saudável seu prazer em comer irá desaparecer.

Nada disso é verdade. Na realidade, a reeducação alimentar só apresenta aspectos positivos para a sua vida. Pode ser surpresa para você, mas existe uma enorme gama de comidas deliciosas e que atendem à filosofia da alimentação saudável.

Venha descobrir mais sobre a reeducação alimentar e veja que ela está longe de ser algo chato ou insatisfatório!

 

O que é a reeducação alimentar?

            Reeducação alimentar é a reavaliação de comportamentos e hábitos relativos a sua alimentação diária. Está longe de ser uma dieta rigorosa e radical, daquelas que limitam muito o cardápio. Pelo contrário, a reeducação alimentar apenas amplia as opções.

Se você quer emagrecer ou manter o seu peso, esta é a melhor alternativa. A maioria das dietas populares acabam sendo interrompidas com o tempo por serem difíceis de acompanhar. Já quando você se reeduca, a alimentação saudável vira rotina diária para sempre.

 

Por que fazer uma reeducação alimentar?

            Para esclarecer ainda melhor a importância de uma reeducação alimentar, confira os principais motivos pelos quais ela é excelente para a sua saúde:

  • Evita doenças – comer alimentos saudáveis ajuda a desintoxicar seu corpo e a auxiliar no melhor funcionamento do organismo. A reeducação alimentar previne e trata problemas como diabetes, colesterol alto, hipertensão, insuficiência cardíaca, etc.
  • Eleva a qualidade de vida – graças aos nutrientes proporcionados pelos alimentos naturais, você passa a ter mais disposição, bom humor e ânimo em sua vida. Além disso, comer bem faz com que você viva mais e melhor.
  • Emagrece ou mantém o peso – esqueça as dietas malucas! Fazer a reeducação alimentar é a melhor maneira para você perder peso, mantê-lo ou até mesmo ganhar massa magra – existem alimentos específicos para cada objetivo.

 

Como funciona a reeducação alimentar?

            Não existe uma regra única para a reeducação alimentar. A verdade é que um nutricionista é a pessoa mais qualificada a te orientar sobre como proceder porque cada um possui suas necessidades e particularidades.

No entanto, há algumas dicas que costumam fazer parte da maioria dos planos de reeducação alimentar. Confira:

1 – Beba bastante água o dia todo. Deixar o corpo hidratado é essencial para a saúde. O mais indicado é tomar 2 litros de água por dia, mas isso pode depender de seu biotipo. Fale com seu nutricionista.

2 – Não pule as refeições principais e coma de 3 em 3 horas. Ficar em jejum não te fará emagrecer com saúde, mas comer direito sim. É importante não ficar com fome, pois assim você pode se alimentar com as quantidades corretas sem exagerar.

3 – Adicione mais verduras, legumes e frutas na sua vida. Se você não tem costume de consumir esses alimentos, procure acrescentá-los aos poucos em sua dieta até fazer disso um hábito. Eles possuem vitaminas, nutrientes e minerais essenciais para seu corpo. Os alimentos integrais também são ótimos.

4 – Pratique exercícios físicos. Realizar atividades como caminhadas e corridas diárias pode acelerar bastante a perda de peso se feitas em conjunto com a reeducação alimentar, sem contar que sua vida fica mais leve e saudável.

 

Viu como a reeducação alimentar não é um bicho de sete cabeças? Procure um nutricionista ou um médico de confiança e cuide de sua saúde!

, ,

Qual a diferença entre o nutrólogo e o nutricionista?

A conscientização dos efeitos que a alimentação e os nutrientes causam na saúde do organismo vem crescendo a cada ano. A reeducação alimentar é importante para todas as pessoas que buscam aprimorar o bem-estar durante sua vida, onde os principais profissionais que oferecem tratamentos com esse foco são o nutricionista e o nutrólogo.

O trabalho no nutricionista e do nutrólogo é ensinar aos pacientes como se alimentar corretamente, verificando as deficiências e excessos nutricionais no seu metabolismo para indicar a forma correta de ingerir macro e micronutrientes.

Então qual é a diferença entre esses dois profissionais?

A primeira diferença está na formação, onde o nutricionista é graduado em nutrição e o nutrólogo é graduado em medicina e posteriormente faz uma especialização em nutrologia médica.

Outra diferença é que como o nutrólogo é medico, ele além de analisar o efeito dos nutrientes no metabolismo do paciente, identificando qual desequilíbrio existe, ele também pode receitar medicamentos para o tratamento. O nutricionista não pode receitar remédios, mas pode montar cardápios corretos para cada necessidade do metabolismo.

Atuação do médico nutrólogo.

Além do conhecimento da nutrição, os nutrólogos por possuírem formação médica, conseguem relacionar os problemas diagnosticados com outras áreas da medicina, como oncologia, cardiologia e etc, possibilitando o tratamento de doenças nutricionais,  como obesidade, anemia, tireopatias, pausas hormonais, hipertensão arterial e o diabetes mellitus.

Outra importante função, é identificar possíveis desequilíbrios alimentares e hábitos de vida que estejam prejudicando o quadro nutricional do paciente, para prevenção de doenças. Também é muito importante enfatizar a necessidade de um acompanhamento sistemático do estado nutricional através de uma avaliação periódica, ou check-up nutrológico, para uma boa manutenção da saúde do organismo e prevenção de doenças nutricionais mais graves.