Exercícios físicos como auxílio na construção da autoestima

Autoestima é se amar, ter autoconfiança e pensamentos positivos em relação a si mesmo. Também é estar satisfeito com sua identidade, se valorizar, ter orgulho e respeito por si próprio e se sentir capaz para vencer os desafios da vida.

Mas nem sempre é fácil manter essa condição ou construí-la mediante os problemas rotineiros. Devido às frustrações da vida, decepções, problemas emocionais, entre outros, acabamos nos deixando abater e apresentando uma baixa autoestima.

Ela se manifesta de diversas formas e é possível percebê-la em pessoas que:

  • Não confiam em sua própria opinião;
  • Se sentem sempre incapazes;
  • Têm medo de enfrentar desafios;
  • São duras consigo mesmas;
  • Se preocupam muito com o que os outros pensam e sempre acha que eles estão pensando o pior sobre ela;
  • São ansiosas e agitadas emocionalmente;
  • Costumam culpar outras pessoas pelos seus próprios problemas;
  • Na maioria das vezes reagem a certas situações com raiva;
  • Não se arriscam na hora de tomar decisões.

Os motivos que fazem uma pessoa ter baixa autoestima são muitos e podem estar ligados a fatos de infância, humilhações, preconceitos, abusos, rejeições, críticas, perdas e desvalorização. Mudar esse quadro não é uma tarefa fácil, mas é possível.

Uma das formas de auxiliar na construção da autoestima são os exercícios físicos. Sabemos que a prática regular deles é essencial para nossa saúde, tanto física como mental e emocional. Veja mais a seguir.

 

Quais benefícios a prática de exercícios pode trazer para melhorar a minha autoestima?

A prática de exercícios físicos melhora os níveis dos hormônios responsáveis pelo bem-estar. Além disso, o fluxo de sangue no cérebro melhora, e a saúde também, fazendo com que os benefícios atinjam o corpo todo.

Além de aumentar a qualidade de vida, a prática de exercícios físicos vai te ajudar a eliminar grandes causadores da sua baixa autoestima, como:

  • Insônia;
  • Ansiedade;
  • Insegurança;
  • Excesso de peso;
  • Depressão;
  • Insegurança com a autoimagem;
  • Mau humor.

Uma caminhada, uma natação, uma corrida ou fazer exercícios variados que exijam mais de você, te fazendo suar pelo menos três vezes por semana, trarão grandes benefícios e satisfação.

A prática de exercícios físicos regularmente será um grande aliado para construir sua autoestima. Eles irão elevar os seus níveis de energia, promover seu bom humor e liberar endorfina em sua corrente sanguínea.

Se você não sabe por onde começar a construir sua autoestima, comece praticando alguma atividade física de forma disciplinada, mas não se esqueça de procurar um médico para fazer um check-up antes e lhe orientar a respeito.

Você irá se sentir bem consigo mesmo, renovará suas energias e estará mais apto a vencer a baixa autoestima.

, ,

O desempenho profissional está ligado à alimentação?

 

Hoje em dia, uma parte significativa da população sente muitas dificuldades em ter uma dieta alimentar saudável todos os dias. Isso porque a rotina é agitada, ocupada e quase nunca permite um tempo para comer corretamente.

Quem nunca preferiu comprar um salgado ou um hambúrguer em fast food simplesmente para economizar tempo? Pior ainda: quem nunca passou horas sem comer porque não tinha como parar o que estava fazendo?

Infelizmente, esses hábitos são cada dia mais comuns, principalmente entre trabalhadores. É um vai e volta tão grande que a alimentação deixa de ser uma prioridade e passa a ser algo supérfluo. Esta uma atitude que irá prejudicar muito a sua vida a médio e longo prazo.

Você pode achar que sua dieta alimentar não influencia no seu desempenho profissional, mas já parou para pensar em todas as vezes que teve dificuldade de concentração, desânimo, mau-humor, mal-estar e baixo rendimento? Será que a sua forma de se alimentar nada tem a ver com isso?

 

Por que a alimentação é importante para o desempenho profissional?

Com os momentos difíceis sendo enfrentados pelo Brasil, manter o emprego é uma constante preocupação para as pessoas. Afinal, elas sabem como está complicado conseguir uma nova posição.

Você pode achar que negligenciar sua alimentação em favor do trabalho é algo vantajoso, mas a verdade é que ao fazer isso você pode estar piorando a situação. Como irá trabalhar bem sem saúde? Acha que seus chefes não irão notar a diferença de atitude?

Comer corretamente proporciona mais disposição, melhora o humor, ajuda a combater o estresse diário e eleva a produtividade, assim como mantém a sua saúde física e mental lá em cima. É fato que os nutrientes presentes em vegetais, frutas, grãos, etc., são benéficos ao nosso dia a dia.

Em tempos conturbados, a melhor coisa que você pode fazer por si mesmo é cuidar da sua saúde, porque só assim terá motivação para persistir com suas atividades e tarefas diárias.

 

Como ter uma alimentação que beneficie o desempenho profissional?

Você quer mudar, mas não sabe o que fazer para ter uma boa alimentação diária? Tudo bem, nós preparamos algumas dicas para te ajudar a saber como começar ter uma dieta alimentar mais saudável. Confira a seguir:

 

1 – Planeje a sua rotina alimentar

Não deixe para pensar no que comer de última hora, pois é aí que você acaba comprando besteirinhas gordurosas. Antes de sair de casa, prepare uma marmita ou faça várias marmitas durante o final de semana, congele-as e depois aqueça no micro-ondas da empresa.

Se não puder fazer isso, então vá a um restaurante próximo ao seu local de trabalho. Escolha um prato colorido, com vários vegetais, proteínas e fibras.

 

2 – Alimente-se a cada três horas

É essencial não ficar sem comer por mais de três horas. O jejum causa estresse, fraqueza, desânimo, irritabilidade e ainda pode baixar a sua pressão consideravelmente.

Além disso, já foi provado que ficar sem comer não emagrece, mas sim acumula gordura e prejudica a sua saúde.

 

3 – Procure um nutricionista

Se você acha que não vai conseguir fazer essa dieta saudável sozinho, não precisa se desesperar. O nutricionista planeja todo o seu cardápio diário, assim como escolhe os alimentos baseado no seu gosto, nas suas necessidades e nos seus objetivos.

Por isso, esse profissional pode ser a peça que estava faltando para que você consiga se alimentar bem.

 

Viu como o desempenho profissional está ligado à alimentação? Não subestime a importância de uma boa dieta alimentar!

, ,

Como uma boa alimentação pode afetar nosso humor no dia a dia?

Muita gente acha que o humor só pode ser afetado por fatores sociais e mentais, mas isso é um erro muito comum. A verdade é que a alimentação tem um grande papel com relação ao nosso humor no dia a dia.

Duvida? Então, continue lendo para entender como a alimentação pode influenciar no humor e quais são os alimentos que mais o beneficiam. Confira!

 

Como a boa alimentação pode influenciar o nosso humor diário?

O cérebro é responsável por produzir neurotransmissores que servem para comunicar ações às outras partes do organismo para que elas funcionem bem. Dois neurotransmissores em especial são fundamentais para o humor: a dopamina e a serotonina.

É aí que a alimentação entra. Esses dois neurotransmissores podem ser afetados pelos alimentos ingeridos, pois alguns são capazes de impulsionar a produção do triptofano, substância usada pelo cérebro para produzir a serotonina.

Além disso, os alimentos também podem estimular a formação da fenilalanina, que é essencial para que o cérebro consiga liberar a dopamina.

Tanto a serotonina quanto a dopamina são elementares para a sensação de bem-estar, prazer e leveza.

Um ponto curioso, que prova como o bom funcionamento intestinal ajuda no humor, é o significado da expressão “enfezado” (usada para designar aquela pessoa mal-humorada ou chateada) que quer dizer “cheio de fezes”, acredita?!

Isso porque quando o intestino não funciona muito bem, nós podemos ficar muito tempo sem ir ao banheiro, o que nos deixa inchados e consequentemente irritados, nervosos e ansiosos. Curioso, não é?

 

Quais são os alimentos que podem afetar o nosso humor?

Conheça a seguir os principais alimentos que são capazes de afetar o nosso humor positivamente:

  • Laticínios

Os leites, queijos, iogurtes, entre outros laticínios, são amigos do bom-humor, pois são ricos com proteínas de origem animal, que contém boas quantidades de triptofano, aquela substância que ajuda na produção de serotonina.

  • Folhas verdes

As folhas verdes (alface, rúcula, agrião, espinafre e couve) são cheias de ácido fólico e fenilalanina, que são fundamentais para a formação do neurotransmissor dopamina.

  • Carnes magras e ovos

Os frangos e os peixes, em especial, possuem valores altos de fenilalanina e triptofano em sua composição. Além disso, vale mencionar que os ovos possuem propriedades parecidas e ainda são ricos em niacina e tiamina, substâncias boas para o humor e para a memória.

  • Carboidratos

Os alimentos como arroz, pães e outras massas são ricos em carboidratos, que são essenciais na atuação do triptofano como estimulador da produção de serotonina. Pode-se dizer, que ele facilita o transporte da substância.

  • Fibras

Os alimentos ricos em fibras (linhaça, aveia, frutas, sementes, chia, granola etc.) proporcionam o bom funcionamento do intestino e impulsionam o desenvolvimento de bactérias essenciais ao sistema digestivo.

  • Soja

Além de ser uma boa fonte de fenilalanina e triptofano, a soja também é rica em vitamina E, acetilcolina e fitoesteróis. Essas substâncias levam muitas vantagens ao cérebro e ao sistema nervoso no geral.

 

Lembre-se de que você pode sempre procurar um nutricionista para que ele lhe passe um cardápio inteiro baseado em uma boa alimentação para o seu humor ou para qualquer outro objetivo que você tenha.

Qual a alimentação ideal para o pré e o pós treino?

Quem tem uma série intensa de treinos diários sempre possui um objetivo bem claro em sua cabeça, seja perder as gorduras indesejadas ou ganhar mais massa muscular. Em muitos casos, os atletas utilizam suplementos para ajudá-los.

Mesmo assim, não há suplemento alimentar que ajude se a alimentação não for balanceada e saudável. É essencial um planejamento cuidadoso envolvendo os alimentos ingeridos durante o dia todo, inclusive antes e depois dos treinos. Existem diferentes tipos de dietas, tanto para quem quer emagrecer quanto para quem quer adquirir massa magra. Da mesma forma, existem alimentos que devem ser proibidos em dietas, pois podem prejudicar todo o seu esforço físico.

Muita gente acha que comer pouco ou cortar carboidratos e gorduras é a solução para suas metas, mas não é bem assim. É importante comer de três em três horas para que o organismo não roube energia dos seus músculos.

Além disso, carboidratos e algumas gorduras também são essenciais para quem está atrás de mais massa muscular. Excluí-los de sua dieta é um erro tremendo que pode estragar toda a sua rotina de exercícios.

É fundamental pensar bem no que comer antes e depois das atividades físicas. Por isso, veja abaixo alguns exemplos de qual a alimentação ideal para o pré e pós treino:

 

Alimentação pré-treino

  • Proteínas: as proteínas são elementares para recuperar e desenvolver os tecidos musculares. Alguns alimentos ricos em proteínas são: ovos, frango, peito de peru e atum.
  • Carboidratos: os carboidratos fazem com que o corpo utilize açúcares e gorduras para gerar energia ao invés de retirar dos músculos. Procure consumir os de fácil digestão, como mandioca, batata-doce e frutas.
  • Água: obviamente, água é fundamental para qualquer ser humano. Contudo, é especialmente importante que você ingira bastante água para hidratar o corpo e se sentir melhor durante os treinos.
  • O que evitar: tire as fibras de sua alimentação pré-treino, pois apesar de serem essenciais para a nossa saúde, elas prejudicam a absorção dos carboidratos. Também não consuma gorduras em excesso, como manteiga e óleos. O único óleo recomendado é o de coco, que possui efeito termogênico.

 

Alimentação pós-treino

  • Whey protein: as moléculas presentes no whey protein são leves. Sendo assim, ele possui uma rápida absorção, o que faz com que seja ideal para o pós-treino, pois fornece ao corpo em recuperação os nutrientes protéicos essenciais. O whey protein hidrolisado é o mais indicado.
  • Proteínas: as proteínas são indispensáveis tanto para a alimentação pré-treino quanto pós-treino. Afinal, elas ajudam na restauração e saúde dos músculos. Além dos alimentos já citados ricos em proteínas, você também pode consumir feijão, carnes magras, iogurtes e queijos.
  • Carboidratos: olha eles aqui de novo! Os carboidratos são ainda mais necessários caso o seu treino tenha sido realmente intenso, pois eles servem para repor a energia gasta e evitar que o organismo utilize os tecidos musculares como fonte de energia.

 

Para ter uma alimentação realmente eficaz, é fundamental que você procure um nutricionista. Só esse profissional poderá lhe passar uma dieta específica às suas necessidades e objetivos.