, , ,

DIABETES

DIABETES

Você sabia que a diabetes é uma doença de resistência insulínica, que começa a se desenvolver de 8 a 12 anos antes de a glicose subir?

Quando consumimos carboidratos refinados, farináceos ou comida processada em excesso, geramos em nosso corpo o aumento do hormônio insulina, cuja função é guardar energia que sobra. Se você ingere esse tipo de alimento com muita frequência, a insulina começa a aumentar cronicamente e você começa a acumular gordura na barriga e entre os órgãos abdominais (gordura visceral).

Quando você come de 3 em 3 horas mesmo sem estar com fome, suas células ficam cheias de glicogênio (estoque de glicose) e de gordura, e param de responder à insulina, como se já estivesse com o “estoque cheio”. Isso é a #RESISTÊNCIAINSULÍNICA.

No entanto, o pâncreas não entende assim!

Ele vê a glicose sobrando na circulação e a “empurra” para dentro das células “à força” se necessário, aumentando a insulina ainda mais. Insulina alta acumula mais gordura visceral (no abdômen), o que produz diversos hormônios que aumentam a inflamação no organismo cronicamente, piorando a resistência à insulina e criando um círculo vicioso.

E agora, como saber se estou desenvolvendo resistência à insulina e impedir que ela cause o diabetes?

Já falamos aqui na página da Peso Menor sobre os sinais da síndrome metabólica. Ela é uma das precursoras do diabetes, e se você tem algum destes sintomas, é melhor ficar atento:

  • Hipertensão
  • Obesidade central (acúmulo de gordura no abdome)
  • HDL baixo (menor que 40mg/dL em homens e que 50mg/dL em mulheres)
  • Triglicérides altos (acima de 150mg/dL)
  • Acantose nas axilas, pescoço e virilhas (escurecimento da pele nessas regiões)
  • Exames de sangue alterados: ácido úrico, ferritina alta, insulina em jejum alta, glicemia em jejum acima de 99mg/dL, hemoglobina glicada Alc acima de 5,6%, HOMA IR acima de 2,5 (calcula-se multiplicando a insulina em jejum pela glicemia em jejum e dividindo o resultado por 405)
  • Doenças que sabidamente cursam com resistência à insulina: síndrome dos ovários policísticos, gota, mulheres que tiveram diabetes gestacional
  • Histórico familiar forte de diabetes tipo 2 e/ou obesidade

Descobrindo estes sintomas precocemente, evita-se milhares de novos casos de diabetes a cada ano. Veja se você se encaixa nesses critérios acima, procure um médico e faça os exames!

CUIDE- SE , AME-SE, PREVINA-SE! 14 de novembro, dia Mundial da Diabetes.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *